MANAS EYEWEAR - CNPJ 26.348.764/0001-66 

manasnomapa@gmai.com // (11) 99899-7284

Itatiba - SP (Não realizamos trocas)

Posts Em Destaque
Please reload

Guia Bósnia e Herzegovina

March 22, 2019

A Bósnia e Herzegovina é um país surpreendente, com muita história, cultura e belas paisagens. Apesar de ser um destino barato e seguro, ainda é muito pouco procurado pelos turistas Brasileiros, e por isso é um pouco difícil encontrar todas as informações em português online. Pensando nisso e somando a minha recente paixão pelo país, resolvi fazer um Guia Bósnia e Herzegovina. 

Nesse post você vai encontrar todas as informações sobre as cidades, atrações turísticas, locomoção, preços... tudo baseado na minha viagem de uma semana pelo país. Além disso, ao final pontuarei algumas coisas que senti falta no meu roteiro, para que a sua viagem possa ser ainda mais completa. Aqui vou trazer informações mais práticas, mas se você quer saber mais sobre a história da Bósnia, recomendo esse post aqui.

 

Primeira parada: Sarajevo

Visitamos a Bósnia e Herzegovina no mês de Julho, e apesar de ser alta temporada, como o país ainda é um pouco desconhecido pelos turistas, os preços estavam bem melhores que a vizinha Croácia. Nessa época os dias são quentes, com sol e um pouco de chuva no fim da tarde, semelhante ao verão Brasileiro. 

Desembarcamos no Aeroporto Internacional de Sarajevo, que é pequeno e fácil de se localizar. Decidimos fazer uso do Euro ao invés da moeda local, já que as duas moedas eram aceitas e a conversão do cambio não valia a pena.

Como o país é extremamente barato e não gastamos muito com estadia e alimentação, nos demos o luxo de alugar um carro para poder aproveitar mais e no nosso tempo. Alugamos com a empresa GUMA X através do site Rental Cars. O valor para 4 dias, retirando em Sarajevo e devolvendo em Mostar, foi de U$154,57 (equivalente a R$589,55 na época). A retirada do carro foi feita no próprio aeroporto e foi muito fácil localizar o guichê e se comunicar em Inglês.

 

Seguimos para nosso Hotel, o Hotel Lula que é extremamente bem localizado. E apesar de simples, uma ótima opção de estadia. Limpo, organizado, com um ótimo atendimento e café da manha muito gostoso.

 

 

O valor para duas pessoas e duas diárias era de EU120,00. Isso com café da manha incluso e estacionamento gratuito. Apesar de termos alugado carro, na cidade de Sarajevo não fizemos uso, apenas para ir do aeroporto ao Hotel. O hotel é realmente muito bem localizado, estando a apenas alguns passos da famosa Fonte Sebij

 

 

O que fazer em Sarajevo?

Dia 1

Chegamos por volta das 14:00 logo após o check in saímos para procurar um restaurante. Acabamos optando pelo típico Cevapi, que você vai encontrar em TODO LUGAR.

 

 Depois de alimentadas, fomos dar uma volta e nos familiarizarmos com o centro da cidade. O centrinho histórico de Sarajevo é bem pequeno, mas dá pra gastar algumas horas alí, já que há muitas lojas e barraquinhas com artesanato e artigos típicos. Terminamos o dia na Galeria 11/07/95, onde vimos uma exposição de fotos e assistimos alguns documentários que nos introduziram a história da Guerra da Bósnia e nos prepararam para o que viria nos próximos dias.

 

 

Dia 2

Acordamos cedo para fazermos um Free Walking Tour da empresa Meet Bosnia, que sai todos os dias as 10:30 da manha. Foi um ótimo momento para aprendermos ainda mais e tirarmos todas as nossas dúvidas que haviam surgido depois da visita ao Museu no dia anterior.

 

 

 

Pela tarde, reservamos um tour da mesma empresa chamado "Fall os Yugoslavia". Apesar de caro (EU25,00 por pessoa), o tour foi privativo: eu, minha irma e o guia, em um carro. Nosso guia além de ter muito conhecimento histórico, viveu a guerra da Bósnia e soube nos contar tudo nos mínimos detalhes. A primeira parada nesse passeio foi um mirante onde pudemos ver Sarajevo de cima, com a vista para um grande cemitério, o que já nos deu a proporção de como foi aquela guerra.

 No caso de Sarajevo, a geografia tem grande impacto e importância no massacre, já que por ser uma cidade rodeada de montanhas, o povo foi cercado e bombardeado constantemente. 

Depois, voltamos para o carro, passamos por algumas ruas importantes e fomos até o Museu do Túnel da Esperança, que já contei mais detalhadamente nesse post. O túnel era a única fone de esperança para o povo de Sarajevo, pois era através dele que vinham os mantimentos durante o cerco na cidade. 

O ingresso já está incluído no valor do tour. 

 

 

 Depois, muito emocionadas, seguimos para nossa última parada do passeio, o Complexo Olímpico das Olimpíadas de Inverno de 1984. Apesar de restarem apenas ruínas, é muito interessante ver a ação do tempo e as manifestações através do grafite. O caminho até lá (apesar de ter me dado muito enjoo) é muito bonito. Vale a pena.

 

 

Voltamos para casa exaustas e com enxaqueca depois de recebermos tantas informações tristes e pesadas. Acabamos não fazendo nada pela noite, afinal, no dia seguinte a aventura continuaria, mas dessa vez para além da capital.

 

Road Trip: de carro pela Bósnia 

Dia 3

 

Acordamos cedo e seguimos viagem de carro até Mostar. Eram 130km considerando as duas paradas previstas: Konjic e Jablanica. 

 

 A Bósnia é dividida em duas zonas geográficas (não vamos falar das divisões políticas aqui nesse post se não fica muito complicado, mas aqui você pode ler mais sobre isso): A Bósnia e a Herzegovina. Parece óbvio, mas eu mesma não sabia dessa informação. Sarajevo está localizado na Bósnia, onde o clima é mais instável, faz mais frio e chove mais. Mostar faz parte da Herzegovina, onde (quase) sempre é sol, a paisagem é mais rochosa e há bastante natureza.

 

Konjic, nossa primeira parada, já faz parte da Herzegovina. Fizemos uma parada rápida para tomar café da manha e observarmos um pouco da pequena cidade. O cartão posta de Konjic é a Old Stone Bridge. Escolhemos um restaurante logo ao lado dela, na margem do rio.

 

Depois de alimentadas, seguimos nosso caminho até Jablanica, onde queríamos ver a famosa ponte destruída, a Neretva Bridge. Foram pouco mais de 30 minutinhos entre uma cidade e outra.

 

Essa ponte foi destruída pelos partisans durante a segunda guerra mundial. Em 1969 o governo da Iugoslávia decidiu fazer um filme sobre a história a batalha de Neretva então a ponte foi reconstruída e novamente explodida para o filme. Portanto, a ponte que está lá hoje não é a original. Eles decidiram manter os restos mesmo após o filme para que as pessoas jamais se esqueçam da história. Logo ao lado há um museu dedicado ao filme.

 

Seguimos viagem, afinal estávamos super ansiosas para conhecer nosso próximo destino. Viajar de carro na Bósnia é SUPER tranquilo. Inclusive, recomendo. A paisagem e bonita demais e é muito bom pode parar sempre que der vontade e conhecer um novo cantinho inesperado. As estradas são super seguras. Nessa trajeto que fizemos não pegamos nenhum pedágio.

 

Chegamos em Mostar por volta das 13hrs. Ficamos hospedadas no Little Rock Rooms, um quarto bem no centro velho da cidade, não tinha como ser melhor. Nossa anfitriã nos recebeu muito bem e ainda nos deu ótimas dicas sobre a cidade. Como não passa carro no centro histórico de Mostar, deixamos ele um pouco afastado. Foi lá onde tive a maior dificuldade para dirigir. As ruas são muito estreitas, mão dupla, e com motoristas bem mal educados.

 

Deixamos nossas malas, fizemos o check e já saímos explorar a cidade de pedra e procurar um bom restaurante. Opções não faltam, e os preços são maravilhosos.

 

A Bósnia é fissurada em pontes, então quase toda cidade tem uma ponte como cartão postal. Em Mostar não poderia ser diferente. O principal ponto turístico da cidade é a Old Bridge. Mas não tem como negar, ela é muito charmosa. Além da beleza, ela é conhecida por seus campeonatos de salto no rio Neretva. É uma tradição de mais de 400 anos e atrai milhares de turistas. Por favor, não se arrisque! Os competidores são profissionais.

 

 

Dia 4

Mostar em si é gostosa para bater perna e explorar as ruazinhas, mas não tem TANTA coisa pra fazer. Porém há muitas opções aos redores da cidade. Nosso quarto dia teve que começar bem cedo, afinal a programação era densa.

Pegamos o carro e seguimos em direção a Blagaj (15km). Lá fica o Monastério Blagaj Tekija e a fonte do rio Buma, origem do rio Neretva (aquele que passa por baixo da ponte de Mostar, o mesmo da Ponte de Jablanica e também de Konjic). O lugar é relaxante e extremamente fotogênico. Há alguns restaurantes para fazer um lanche ou almoçar. Acabamos comendo uma sobremesa como café da manha. Não é preciso pagar nenhuma taxa para visitar a parte externa.

 

 

Alimentadas, seguimos para nossa próxima parada (talvez uma das minhas favoritas): Pocitelj. Uma cidade medieval e com uma mistura de arquitetura otomana. A cidade foi construída em uma colina as margens do rio Neretva, e ela fica bem a beira da estrada. A bela cidade de pedra é Patrimônio da Humanidade pela UNESCO e a parada é obrigatória. Aproveitamos para explorar suas ruelas e subir num mirante (nada seguro) que tem uma vista maravilhosa.

 

Apesar de ser patrimônio da UNESCO, não há muito estrutura, o que acaba sendo bem perigoso. Não recomendo subir no mirante com crianças. Assim como Blagaj, não é preciso pagar nenhuma taxa para visitar. A subida é um pouco exaustiva, mas nada muito difícil. Porém, o sol e o calor estavam intensos e na volta já tínhamos muita fome além da cede. Aproveitamos para fazer uma boquinha em um dos restaurantes lá em baixo.

 

A última parada do dia foi a 25 km dali, a Kravica Watterfall. São 28 metros de altura e diversas quedas da água. A paisagem é linda, porém o turismo já tomos conta do lugar. Quando fomos estava bem cheio e com música bem alta (isso me incomoda muito). Nada como terminar o dia mergulhando nessas águas (bem geladas, alias).

 

A taxa de entrada ao parque é equivalente a 3 euros e há estacionamento gratuito. Também é possível fazer uma visita noturna no parque.

 

Voltamos para Mostar acabadas, mas ainda conseguimos aproveitar um pouco a cidade de noite e sair para jantar.

 

DIA 5

Tínhamos reservado o último dia para descansar e aproveitar mais a cidade de Mostar, mas não conseguimos ficar muito tempo paradas. Devolvemos o carro logo pela manha e embarcamos em um passeio chamado Grand Herzegovina Tour. O local de devolução de carros da GUMA X em Mostar é super afastado! Fique atento a isso e já programe um taxi para voltar ao cento. 

 

Descobrimos esse tour da Discover Herzegovina por acaso, através de um flyer em Kravica. Decidimos arriscar. Pagamos 55 Euros por pessoa, o que incluía todos os ingressos, degustação de vinho e jantar (E que jantar!).

 

Fomos com um carro comum em 4 pessoas mais o guia/motorista, o Pedja. Apesar do tour ter sido INCRÍVEL, confesso que tenho um pouco de medo de indicar. Pedja, apesar de ser uma pessoa maravilhosa, dirige de maneira bem imprudente! Vá por sua conta e risco. 

 

O passeio começou em Hutovo Blato, uma reserva natural de beleza única. O local é pouquíssimo conhecido, Lá fizemos um passeio de barco de cerca de 45 minutos e aprendemos mais sobre a fauna e a flora. Foi lindo, uma ótima maneira de começar o dia.

 

Seguimos para Stolac para a parada do café da manha. A região de Stolac é muito bonita e tem muita importância na história do país. Até conversamos com uma pessoa local que nos abriu sua casa para conhecermos. O mais interessante desse tour era ter contato direto com pessoas que viveram a guerra, viveram durante a Iugoslávia. Ouvir suas experiência de vida é algo que expande muito nossa forma de pensar.

 

A terceira parada foi um pouco mais "radical". Fomos visitar a caverna Vjetrenica. Ela é a maior e a mais importante caverna da Bósnia e Herzegovina. 7km dela foram explorados, mas apenas 650 metros estão abertos à visitação por questões de segurança. Acredita-se que a caverna ligava a Bósnia à Croácia (20km).

 

Apesar de pequena, é muito interessante, extremamente fria e com muito vento. Eu nunca havia entrado em uma caverna e fiquei maravilhada. Há também um museu que conta um pouco da história do descobrimento da caverna.

 

Continuamos na estrada até chegarmos na cidade de Trebinje, onde conhecemos um pouco do centrinho e fomos visitar o Monastério Tvrdos, onde houve degustação de vinhos (talvez o melhor vinho que eu tomei na vida). O Monastério é católico ortodoxo e tem uma linda Igreja bem antiga e cheia de história.

 

 

 

A última parada antes do jantar foi no Aqua Park "Grand Sunca", um parque aquático com piscinas e toboáguas para dar uma refrescada. Acabei não tirando fotos.

 

Como se não bastasse todos esses lugares incríveis que visitamos, o tour terminou em um restaurante em Mogorjelo, o Villa Rustica, que é também um monumento arqueológico com uma Vila Romana super preservada. Já era noite quando chegamos lá e os celulares já não tinham baterias, mas acredito que isso fez a noite ser ainda mais especial. Parecia que tínhamos parado no tempo. A janta nem se fala, que banquete!! Uma carne MA-RA-VI-LHO-SA e muuuuuita fartura! E a melhor parte: estava incluso no valor do passeio. Boatos dizem que Franz Ferdinand costumava fazer suas refeições no Villa Rustica. O restaurante tem sido passado de geração em geração e está na mesma família por décadas e décadas. Foi um momento realmente muito especial. Segue aqui algumas fotos retiradas da internet.

 

 

 E foi assim que terminou nossa viagem. Acabamos seguindo para Montenegro pegar o vôo de volta, mas isso é história para outro post.

 

A Bósnia e Herzegovina me surpreendeu muito positivamente com sua simpatia, beleza e simplicidade. Um pais que tem muito a oferecer e que tem prazer em satisfazer aqueles que o visitam. Com certeza a Bósnia tem um cantinho especial no meu coração. Espero que com esse Guia Bósnia e Herzegovina vocês também se sintam inspirados a conhecer esse país que tanto me agradou.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Please reload

  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square